quarta-feira, 13 de agosto de 2014

XVIII - Amor Obscuro HOT HOT HOT HOT

| |


– Agora podemos conversar com mais privacidade, não acha ? - Elena diz friamente e abre seu falso sorriso.
– O que você quer ? - Digo, deixando transparecer toda minha raiva dela.
– Só quero conversar, doce Selena. Ou melhor ter dar um conselhos. - Ela diz mexendo em suas unhas e me fitando com seu olhar glacial. Olho-a da mesma maneira e empino o nariz.
– Eu não tenho nada para conversar com você! Quem dirá ouvir seus conselhos. - Digo e me viro de frente para ela e abro um sorrisinho. – Agora, se me der licença. - Digo enquanto me encaminho para a porta, quando sou interrompida por ela, que para na minha frente.
– Calma! Está com medo ? - Ela pergunta, o que me faz da uma gargalhada de jogar a cabeça para trás. Volto meu olhar para ela.
– Medo ? De você ? - Solto mais uma gargalhada. Ela fecha o cenho e cerra os pulsos.
– Se eu fosse você, não falaria assim. Você não me conhece, querida. Não sabe do que eu sou capaz! - Ela sussurra, ameaçadoramente.
– Ah eu sei muito bem do que você é capaz. Pena que não sou homem e nem mais uma criança para você abusar. Não é disso que você gosta ? - Rosno, para o espanto total dela.
– Nicholas falou de mim. Contou a relação que tivemos. - Ela diz, depois de um instante fora de órbita.
– É, ele me contou que foi abusado, quando jovem. - Digo com asco na voz, dando ênfase no 'abusado'.
– Alto lá! Não estou gostando de seu tom de voz para comigo! - Ela rosna. Inclino minha cabeça para o lado.
– Isso é um problema seu né, queridinha. - Digo com deboche. Ela me fita raivosa, mas logo abre um sorriso.
– Está achando que ganhou o Nicholas foi ? Só porque deixou ele um pouquinho nervosinho, acha que já tem ele em suas mãos ? Mas escute o que eu vou lhe falar. - Ela diz enquanto se aproxima de mim e olha em meu olhos. – Ele pode até está interessado em você, mas ele sempre será meu, querida. Você só uma submissa! - Ela balbucia.
Perco meu controle total e só escuto o barulho ecoar pelo recinto, do tapa bem forte que desfiro em seu rosto, fazendo-o virar. Ela volta seu rosto para mim e noto uma manchinha de sangue em seu lábio.
– Isso é por sua audácia em vir falar comigo. - Digo e desfiro outro tapa, com a costa de minha mão, no outro lado do seu rosto. – E isso é para você nunca mais dirigir-me uma palavra se quer! - Ela volta seu rosto para mim novamente e cerra o maxilar. Cuspo em seu rosto – Ah! E isso é a demonstração do meu asco por você. - Ela fica estática. Ando em direção a porta de saída. Paro repentinamente e giro nos pés, me voltando para ela. – Espero que tenha entendido meu recado! - Sorrio e pisco com um olho para ela, que me olha embasbacada. Em seguida jogo meu cabelo para trás e passo a mão no busto do meu vestido, levantando meus peitos. – Até nunca mais, Bitch! - Digo e saio do recinto, fechando a porta atrás de mim. Dou mais alguns passos e logo Nicholas vem ao meu encontro.
– Selena, onde você estava ? - Ele rosna e para na minha frente.
– Estava no banheiro. A propósito, tem alguém que deve esta precisando de sua ajuda. - Digo friamente. Ele me olha confuso por um instante e direciona seu olhar para a porta do banheiro. Logo sua expressão muda. Acho que ela deve ter saido do banheiro nesse instante. Ele volta seu olhar para mim e me fita boquiaberto. – Agora, se me der licença. - Digo e continuo meu caminho.
– Nicholas! - Ouço a voz de Elena chamando-o. Isso, vai lá ficar com sua dona, cachorrinho! Resmungo mentalmente, mas para minha surpresa ele vem atrás de mim.
– Espera, Selena! - Ele grita e continua a andar rapidamente. Sinto sua mão agarrar meu braço, forçando-me a virar de frente para ele. – Eu disse para me esperar! - Ele rosna.
– Vai lá ficar com sua amiguinha, Nicholas. Ou melhor, com sua dona! - Rosno e puxo meu braço. Empurro ele, não me importando com seu trauma e continuo o meu caminho com ele me seguindo.
– Ah Selena, quando estivermos a sós, você vai ver. - Ele rosna atrás de mim e para minha benção Zac se materializa em minha frente, fazendo-me parar.
– Gomez, onde você estava ? Estou te procurando a horas. Vamos embora ? - Ele pergunta.
– Ela irá comigo! - Nicholas rosna atrás de mim. Viro-me para ele e olho-o incrédula. Volto meu olhar para Zac e sorrio.
– Vamos sim, Zac. Deixa eu só pegar minha bolsa lá na mesa. - Digo e ele assente.
– O QUÊ ? - Nicholas grita, me fazendo sobressaltar. – Você irá embora comigo! - Ele rosna e me viro para ele.
– Meu acompanhante é o Zac. Eu vim com ele e vou embora com ele! - Digo, decidida.
Viro-me de volta para Zac, pego em seu braço e continuo o meu caminho até a mesa. Chego a mesa dos Lovato, pego minha bolsa e me despeço deles rapidamente.
– Agora só falta se despedir dos anfitriões. - Diz Zac, avaliando minha reação.
– Vamos então. - Digo e pego em seu braço novamente.
Seguimos nosso caminho e por sorte encontramos Denize e Paul no caminho.
– Sr e Sra Jonas, a noite está perfeita. Foi uma honra conhecê-los, mas estamos de partida. - Diz, Zac.
– Ah! Mas já ? - Denize diz, fechando seu belo sorriso.
– Sim, Selly está com um pouco de dor de cabeça. - Zac mente.
– Sério querida ? Sou medica pediatra, mas posso ver o que você tem. - Ela diz, entrando em modo profissional. Paga minhas duas mãos e me analisa, com seu semblante preocupado.
– Não, imagina Sra Jonas. É só uma dorzinha e nada. Passará quando eu tomar um remedio e me deitar. - Digo com um sorriso acolhedor.
– Então vá para casa e descanse bem, viu. E adorei te conhecer, Selena. - Ela diz e me da um abraço acalorado. Logo se afasta e ambas sorrimos.
– Ah! que pena que minha parceira de dança já vai. - Paul diz e faz uma cara de tristeza, me fazendo sorrir. – Adorei conhecê-la, Selena. E espero dançar mais vezes com minha nova companheira. - Ele diz com seu sorriso genuíno e me abraça.
– Oh! Pode deixar que não abandonarei meu novo companheiro de dança. - Digo brincalhona e todos sorri. Paul me dá um beijo na testa e se vira para Zac.
– Adorei conhecê-lo também rapaz. E trate de levar a mocinha aqui sã e salva para casa. - Ele diz com falsa bronca.
– Pode deixar Sr Jonas, que essa moçinha chegará perfeita em casa. - Zac diz com seu sorriso arrogante e aperta a mão que Paul estende a ele.
Nos despedimos dos Jonas e logo seguimos Zac e eu para a saída. Logo a limusine estaciona e entramos calados. O silencio se instala na limusine, durante o caminho para casa. Que noite infernal, meu Deus! E ainda terei que enfrentar amanhã, um Nicholas furioso. Ai Deus, nem começamos a briga e já estou cansada. Solto um suspiro, exausta.
– Ai Gomez, foi o lance mais alto do leilão hein.. - Zac diz, tirando-me de meus desvaneios.
Viro-me para ele, dou-lhe um sorrisinho de lado e volto a olhar pela janela em seguida. Porque tudo tem que ser assim ? Porque tudo com Nicholas tem que ser tão dificil ? E cada vez que as coisas ficam dificil, mais eu tenho vontade de permanecer nesse relacionamento conturbado. Acho que estou enlouquecendo! Quando dou por mim, a limusine está parada em frente ao meu prédio. Zac se prontifica a sair, mas o seguro pelo braço.
– Não precisa descer. - Digo e ele franze o cenho. Reviro meus olhos e sorrio. – Pode deixar que ninguem irá me engolir no caminho, Lovato 2.0. - Digo e ele sorri.
– Tem certeza ? - Ele pergunta, ainda em duvida. Reviro os olhos novamente.
– Claro que tenho. E obrigada pela noite! - Digo e o abraço calorosamente e ele retribui, me dando beijos no rosto. Em seguida me solta e volta a me fitar.– Tenha uma boa noite, Zac. - Digo.
– E você sonhe comigo, só assim terá uma boa noite de sono. - Ele diz, brincalhão como sempre, me fazendo cair na gargalhada.
– Só você para me fazer rir a uma hora dessas viu. - Digo e mostro a língua. Ele revira os olhos – Tchau, Lovato 2.0. - Então abro a porta e saio do carro.
Aceno para ele e vejo a limusine dar partida. Solto um suspiro, giro nos pés e ando em direção ao prédio. Entro e começo a subir as escadas. Merda de sandálias! Paro no meio da escada e tiro minhas sandálias e volto a subir. Agora sim! Chego ao meu andar e entro no meu apartamento, trancando a porta em seguida. Demi tem chave, então ela que se vire! em seguida vou direto para meu quarto, fecho a porta atrás de mim e me jogo na poltrona no canto do quarto. Que merda de noite hein, Gomez!
Depois de um momento descansando na poltrona, resolvo tomar um banho. Preciso tirar essa merda de noite da minha cabeça. Tiro meu vestido pelo caminho do banheiro e me jogo com tudo dentro do box, entrando embaixo da agua fria. Sento-me no chão, abraço minhas pernas e permaneço assim por horas. Não vou pensar em você, Jonas! Não vou pensar em você, Jonas! Repito esse mantra mentalmente várias vezes. -Só por hoje né!– Zomba meu subconsciente. Nossa to parecendo uma viciada dos alcoólatras anônimos. -Só que nosso vício é de carne e osso– Minha deusa interior diz e sorri de lado.
– Chega! - Grito e levanto-me rapidamente.
Começo a me ensaboar e lavar meus cabelos. Logo termino o banho, me seco, saio do banheiro nua, apago as luzes do quarto e pulo em cima da cama, me cobrindo com o edredom. Deixo-me levar pelos pensamentos até que o sono me atinge, me levando para a tão bem vinda inconsciencia...
Acordo em um súbito, toda ofegante e noto que ainda é noite ao olhar pela janela. Coço os olhos e olho no despertador as horas que marcam 3:20 da manhã. Acalmo minha respiração e logo noto uma sombra no canto do quarto. Coço meus olhos novamente para ver melhor e ... NÃO! Não creio no que meus olhos veêm!
Olho novamente para o lugar e vejo um homem sentado na poltrona, no canto do quarto, com um copo na mão. Levo minha mãa té o criado mudo e ligo o abajur. Olho novamente para a poltrona em que Nicholas está sentado e bebendo uísque?! Levanto meus olhos até encontrar os seus e gelo. Ele me encara com olhos insondáveis. Sua expressão está rígida. Ele mantém o olhar em mim e me sinto desconfortável.
– Como você entrou ? - Pergunto, num sopro de voz. Ele continua a me olhar e não diz nada. Em seguida toma mais um gole de sua bebida. Merda! Não era isso que eu estava esperando! – Nicholas, está tudo bem ? - Pergunto, temendo sua reação, mas logo me surpreendo, pois ele continua a me fitar sem dizer uma misera palavra. Isso só está piorando as coisas.
Por mais estranho que ele esteja comigo, confesso que estou feliz por ele estar aqui. Estranhamente, sinto falta dele. -Bem que ele podia nos foder brutalmente nessa cama hein.- Minha deusa interior sorri maliciosamente e passa a língua nos lábios, para meu espanto. Solto um suspiro, me envolvo bem com o edredom, para cobrir minha total nudez, e me sento na cama lentamente, com os olhos de Nicholas em mim. Isso já está começando a me irritar.
– Diz alguma coisa, Nicholas - Sussurro e ele não move um musculo se quer do seu delicioso corpo.
O clima se torna cada vez mais insuportável. Sua raiva é tão grande que chega a ser palpável. Ah, quer saber? Também tenho meus motivos para ficar brava, Jonas. Não é só você. Deito novamente na cama e olho para o teto, ignorando sua presença. Pelo canto de olho vejo-o virar o ultimo gole de seu copo e coloca-o em cima do criado mundo. Volto meu olhar para ele e vejo-o se levantar e começar a tirar sua gravata borboleta, para em seguida tirar toda roupa. Ele continua a me olhar, fazendo-me sentir mal. Em seguida, ele vai se direciona para o banheiro e eu acompanho-o com os olhos. Franzo o cenho. Oque ele vai fazer ?
Depois de um tempo, ouço um barulho de agua. Ele está tomando banho? Questino-me mentalmente. -Isso não está me cheirando bem, Gomez.- Diz meu subconsciente temendo o que está por vim. Olho fixamente para um ponto na parede e me percom em meus pensamentos. Nicholas nunca esteve tão calado. O que será que ele está pensando? Ou tramando? Solto um suspiro exasperado e logo sou tirada de meus pensamentos ao ver Nicholas voltar para o quarto só de toalha. Ele se aproxima da cama e em seguida deixa a toalha cair e se deita ao meu lado. Joga um braço por cima dos olhos, me deixando incrédula. O que ? Ele vai dormir ? É isso mesmo ? E ainda por cima, nú ?
Suspiro e me deito ao seu lado, encarando o teto. Espero mais um pouco para ver se ele falará algo e nada! Bufo.
– Tá, isso já está estranho. - Digo e me sento na cama, virando-me para ele. – Nicholas fala alguma coisa ? - Eu praticamente grito e ele continua mudo. – Porra, diz algo. Grite, xingue, faça o que você quiser, mas faça! - Grito, exasperada.
– Se você soubesse o que eu quero fazer, não estaria dando esse ataque. - Ele diz, com uma voz glacial e sinto minha espinha gelar, imediatamente. Pigarreio e resolvo colocar tudo em pratos limpos.
– Como é que é ? Você que vai para um festa com a vadia que você comeu e eu é que estou errada ? - Grito.
Ele tira o braço do seu rosto e me olha, furioso.
– Para de gritar! - Ele rosna.
– Para de gritar é o cacete! Você entra na minha casa e ainda se acha no direito de me ameaçar ?! Aliás como você entrou ?- Continuo a gritar. Ele se senta na cama de um pulo e vira seu torso para mim.
– Sua colega de apartamento. - Olho para ele confusa.
– Demi está aí ? - Pergunto, com os olhos arregalados. Ele bufa e passa a mão no cabelo.
– Não, Selena. Assim que você saiu da festa eu sai logo depois e vim direto para cá. Consegui entrar no prédio porque uma moça estava saindo e bati na porta. Esperei você abrir e nada. Voltei para festa e pedi a sua amiga as chaves e ela me deu. O resto você já pode deduzir por si mesma, já que adora fazer isso. - Ele diz com acidez na voz.
– Ah, agora eu que deduzo as coisas né, você não estava acompanhado da fulana ? - Pergunto com sarcasmo em minha voz. Ele bufa exasperado e me olha fixamente.
– Eu não estava acompanhado de Elena, merda! Não chegamos juntos e eu nem sabia que ela iria ao baile. Eu estava com a minha família. Ela foi cumprimentar minha mãe e começamos a conversar quando você chegou com aquele merdinha! - Ele cospe as palavras em cima de mim, para minha revolta total.
– NÃO FALA ASSIM DO ZAC. - Grito e vejo-o ranger os dentes.
– Eu falo como quiser. E que história é essa de viagem ? - Ele rosna.
– Eu estava pensando em não ir, mas depois de hoje a noite eu decidi que viajarei para Barbados. - Digo, decidida.
– Sabe qual é o seu problema ?! Falta de controle! Você não me obedece em nada, só faz o que você quer e quando quer! - Ele rosna.
– E qual é o problema nisso ? - Pergunto, com deboche.
Ele fecha os olhos e passa as mãos no cabelo novamente. Acho que está se controlando ao máximo! Em seguida ele abre os olhos e se aproxima rapidamente, me agarrando pelo braços.
– Você me deve obediência. - Ele rosna.
– Sinto muito lhe dizer mais eu não sou sua submissa. E mesmo se fosse, não lhe deveria explicações durante a semana. - Grito cada palavra para ele.
– Não grite comigo, Anastásia. - Ele me olha duramente – Quando faz isso, eu tenho uma enorme vontade de te bater e te foder até você não andar mais, para você saber quem é que manda aqui. - Ele rosna e arregalo meus olhos.
Sinto meu interior se apertar. Começo a ofegar. Merda! Porque estou excitada com uma ameaça? Engulo em seco.
– Como é ? - Sussurro, incrédula e mordo meu lábio.
Seus olhos se escurecem rapidamente, dando lugar a um cinza chumbo tempestivo. Ele se inclina até o criado mudo, desliga o abajur e se volta para mim, aproximando-se rapidamente. Leva as mãos em meus cabelos e puxa-os, inclinando minha cabeça para trás. Ele morde meu queixo com força o que me faz gemer alto. Em seguida ele toma minha boca em um beijo fervoroso, forçando a sua língua em minha boca.
Levo minhas mãos em seu cabelo, involuntariamente, e puxo-o com força, fazendo-o gemer em minha boca. Ele separa nossos lábios quando o ar nos falta e morde meu lábio inferior com força, puxando-o em seguida. Gemo e me levanto, ficando de joelhos na cama. Ele faz o mesmo e me puxa para si, colando nossos corpos e volta a me beijar, com selvageria dessa vez. Em seguida desce uma mão pelas minhas costas, abaixando o edredom que me cobria e geme. Ele para o beijo repentinamente e me olha nos olhos.
– Está nua. - Balbucia as palavras, incrédulo. Balanço a cabeça em concordância e puxo para mim, colando nossas testas. Ele abre um sorriso diabólico e vejo que seus olhos estão escuros e com uma promessa misteriosa. – Vou te mostrar a quem deve obedecer, Selena! Vamos ver se você irá viajar! - Ele sussurra e ataca minha boca novamente.
Em seguida ele desce sua boca pelo meu queixo, fazendo uma trilha de beijos até o meu pescoço e o chupa com força, me fazendo arfar. Arqueio meu torso, inclinando a cabeça para trás, dando-o passagem. Ele continua sua tortura de chupões e mordidas pelo meu corpo e desce até meus seios. Leva suas duas mão até eles e os aperta com força, me fazendo gemer. Em seguida, leva a boca até um deles e os suga com tanta força e morde o mamilo até me fazer sentir dor. Solto um gemido sofrido e mordo meus lábios com força. Sinto-me dolorida mais ao mesmo tempo satisfeita. Estranhamente estou gostando da sensação. Realmente ele está me levando para um lugar do qual tenho medo!
– Nicholas.. por favor! - Suplico por algo que não faço ideia do que seja.
– Shhh.. Calada! - Ele rosna, enquanto chupa meus seios e dá um forte tapa em minha bunda, apertando-a com força em seguida. Desce mais outros tapas em minha bunda, que com certeza ficará vermelho depois.
Em seguida ele sobe suas mãos até meus seios, continuando sua tortura e passa para o outro seio e repete o mesmo processo. Em seguida ele desse seus lábios por minha barriga e começa a distribuir vários chupões, seguidos por mordidas pelo meu corpo, me fazendo querer mais e mais. Ele desce uma mão até meu sexo e solta um gemido gutural ao perceber o tamanho da minha excitação. Em seguida ele coloca as duas mãos em minha cintura e em um ato brusco, puxa-me para sentar-me em seu colo.
Sinto sua ereção pulsante embaixo de mim, e mordo meu lábios com força. Como o quero dentro de mim! Enrolo minhas pernas a sua volta e levo minhas mãos em seu cabelo e puxo-o para mim, beijando-o em seguida, com fervor. Ele leva uma mão até minhas costas e cola nossos corpos, enquanto travamos uma batalha de línguas.
Ele leva uma mão até minha cintura, levanta meu quadril e num movimento rápido e brusco, me penetra com força. Jogo a cabeça para trás, em êxtase ao senti-lo completamente dentro de mim e gemo alto, enquanto ele suga meus lábios com precisão. Ele desce sua outra mão, aperta meu quadril com as duas mãos, me segura e começa a se mover num ritmo violento, enquanto distribui mordidas pelo meu maxilar. Tenho certeza que amanhã estarei toda dolorida, mas no momento não ligo. Sinto-me preenchida, saciada.. Como se precisasse disso para me acalmar. Como se ele fosse uma droga na qual estou viciada.
– Você é minha, Selly. - Ele geme, enquanto me penetra. – Quis fazer isso a noite toda! - Ele sussurra em me ouvido e gemo em resposta.
– Você é meu! - Digo, entre os dentes.
– Sim, só seu! Todo seu, baby. - Ele geme em meu ouvido, para minha satisfação.
Nicholas continua a me estocar brutalmente até que sinto meu interior se apertar ao redor dele. Ele segura a minha cabeça entre suas mãos e olha-me nos olhos, prendendo meu olhar ao dele, os castanhos Hipnotizando-me. Meu interior se aperta mais, até que não aguento mais segurar e gozo de uma maneira alucinante em torno dele, soltando um gemido gutural. Sinto minha visão turva e fecho meus olhos, jogando a cabeça para trás enquanto sinto os espasmos do orgasmo avassalador que me atinge, aproveitando a sensação.
Momentos depois sou tirada do meu transe ao sentir o liquido quente de Nicholas invadir meu interior. Abro meu olhos e vejo-o com a cabeça jogada para trás e sua respiração entrecortada. Que cena mais erótica vê-lo gozar! Passo minha língua por seu pescoço e distribuo beijos pelo mesmo. Chupo seu pescoço e logo ele abaixa um pouco a cabeça e me abraça. Subo meus lábios até sua orelha e mordo o seu lóbulo. Ele geme e acaricia minhas costas. Em seguida debruça-se sobre mim, me fazendo deitar na cama e desabando em cima de mim.
– Durma, baby! - Ele diz entre um bocejo e me abraça apertado, deitando sua cabeça entre meus seios.
Enrolo minhas pernas em torno dele e acaricio seus cabelos, me perdendo em pensamentos. O que foi isso? Que sexo mais louco e violento foi esse? Porque Nicholas é assim tão.. intenso ?! Solto um bocejo involuntário e noto que Nicholas já dormiu. Respiro fundo e decido deixar essas duvidas para depois. Estou tão cansada, exausta de todas as maneiras. Sinto minhas pálpebras pesadas e deixo-me levar, adormecendo com o peso de Nicholas sobre mim.



Feliz Pelos ComentáriosAmanhã tem maratona.


 Quero Comentários... :)

Comentem
Creditos Angel

2 comentários:

  1. Que capitulo ! :D:D:P OMG ele ten q se declarar para ela. E ela pra ele. ! Ai Jesus !

    ResponderExcluir