segunda-feira, 23 de junho de 2014

Original Sin - 60 Capitulo

| |


O caminho até a mansão Jonas foi silencioso. Selena sorriu ao passar pelo portão da propriedade. Lembrava de cada passeio ali. Quando a carruagem parou na frente da porta principal da mansão, ela suspirou e desceu. Lembrou-se da ultima vez em que estivera ali. Da certeza de não voltar mais. Entretanto, ali estava ela. Só que não havia tempo. Precisava ser feito logo, antes que perdesse a coragem. Ela subiu a escadaria, segurando a barra do vestido ao fazê-lo.

Rosa: Senhora. – Cumprimentou, surpresa e contente.

Selena: Rosa. – Retribuiu – Minha filha? – Perguntou, sentindo falta dos gritinhos de Rosalie.

Rosa: Saiu juntamente com a senhora Demetria, o senhor Joseph, o senhor Gregg, Théo, Suri e o menino Diego. – Respondeu, prontamente. – Creio que foram as compras.

Selena: Nicholas? – Perguntou, por fim.

Rosa: Acredito que esteja no banho, senhora. – Respondeu, breve – Se quiser, eu a anuncio.

Selena: Não. Eu conheço o caminho. Obrigado, Rosa. – A senhora assentiu, e se retirou.

Selena ergueu o olhar brevemente pra o segundo andar, e avançou. Logo estava no quarto dos dois. Podia ouvir o barulho da agua, vindo do banheiro. Ela avançou silenciosamente pelo quarto, observando. Tinha tantas lembranças desse lugar. E agora estava ali, parada, com uma decisão daquelas pra anunciar. Ela olhou, curiosa, pra penteadeira. Fora tudo o que ela deixou, coisas que não saíram do lugar, havia um porta retratos. Ela se abaixou levemente, olhando a foto. Era ela, no baile em que Gregg lhe levou, em seu aniversário. Nicholas cortara o pedaço do jornal. Tirara a parte onde Gregg estava, e deixou apenas Selena. Ela sorria, radiante. Estava observando isso, quando a voz em sua cabeça tornou-se real.

Nicholas: Selena? – Perguntou, surpreso, saindo do banheiro. Usava uma camisa branca e uma calça abrigo preta, e secava os cabelos com uma toalha alva. Selena se ergueu, encarando o marido.

Selena: Eu me lembro que quando eu cheguei aqui, o barulho da chuva me apavorava de noite. – Observou, quando ouviu a chuva começar a bater na janela.

Nicholas: É por causa do andar de cima. Sempre foi vazio, faz eco. – Explicou, observando-a.

Coloque a cabeça em meu travesseiro,
Eu sentarei ao seu lado na cama ♫
.
Selena caminhou um pouco, olhando a penteadeira. Não sabia como começar. Estava perdida, haviam lembranças demais.

Selena: Você me deu isso quando fizemos 1 mês de casados. – Lembrou, pegando uma corrente que estava solta, perdida na penteadeira. Era uma gargantilha normal, com uma flor de 6 pétalas na ponta. Em cada pétala havia um diamante médio. No meio de todas havia um grande. Da flor caia um fio de prata, com um pingentinho na ponta.

Nicholas: Eu... eu lembrei de você, quando vi. Então comprei, e esperei a oportunidade pra te dar. Isso aconteceu 2 meses antes do seu aniversário. Eu ia te assustar se aparecesse do nada com um diamante, e você não havia sido inteligente nem nada, eu não tinha como... – Interrompido

Você não acha que está na hora
De dizermos algumas coisas que não foram ditas? ♫

Selena: Eu amo você. – Interrompeu, ao criar coragem.

O coração de Nicholas saltou ao ouvir aquilo. Ele tinha a certeza de que ela havia ido ali terminar com ele, e buscar Rosalie, mas ela havia dito que o amava. Não era uma alucinação, ela o amava.

Nicholas: Eu também amo você. – Respondeu, com um sorriso de canto.

Nunca é tarde para voltar àquele lugar,
De volta pelo caminho que nós estávamos ♫

Selena: Eu não queria perdoar você. – Disse, mordendo o lábio em seguida. Seu coração batia tão rápido que chegava a machucar.

Nicholas: Eu sei que não. – Disse, olhando-a.

Selena: Mas eu... eu não sei. Eu estou presa a você. – Disse, agoniada – Eu não consegui ir embora. Eu podia vir aqui, eu podia buscar Rosalie e sumir, mas eu não consigo.

Por que você não olha para mim
Até deixarmos de ser estranhos? ♫
.
Nicholas: Você não precisa ir. – Lembrou, observando-a – Eu estou aqui. Eu te amo. Ninguém quer que você vá. Eu não quero.

Selena: Como se eu fosse conseguir viver longe de você. – Murmurou, com a voz embargada.

Nicholas: Você não precisa tentar.

Às vezes é difícil de me amar,
Às vezes é difícil de te amar também ♫

Selena: Ah, me beije, meu amor. – Pediu, sentindo o olhar se inundar. – Me beije antes que eu tenha medo, antes que eu queira fugir. Me beije antes que alguém nos separe de novo.

Nicholas jogou a toalha que tinha na mão na poltrona mais próxima. Ele se aproximou da amada calmamente, passando-lhe confiança. Mas Selena estava nervosa demais. Não sabia se era a escolha certa. Ela só seguiu o que o coração dela mandou. Ele era, aproximadamente, uma testa mais alto que ela. Quando ele parou na frente dela, pôs uma mão em sua cintura, por cima do espartilho preto. Ele percebeu que a respiração dela estava alterada, devido ao nervosismo.
.
Eu sei que é difícil de acreditar
Que o amor pode nos salvar ♫

Nicholas: Calma. - Murmurou, erguendo o rosto dela levemente com a mão. Selena sorriu, engasgada. Era como sempre: ele guiando ela. Ele sorriu, e em seguida a encarou. Ela fechou os olhos ao sentir a respiração dele sob o seu rosto, e em seguida sentiu os lábios dele oprimirem os seus gentilmente. Ela entreabriu os lábios, dando espaço à língua dele. Sentiu a língua do marido, lentamente, invadir sua boca. Quando, por fim, aconteceu, ela teve a certeza de que precisava. Ali era o seu lugar. Enlaçou os braços no pescoço dele, e o beijou com gana. Nicholas sorriu, e abraçou ela pela cintura com as duas mãos. Não havia mais calma nos movimentos dos dois. Só saudade, paixão, desejo, amor. O cabelo dela logo se soltou, caindo livremente por suas costas. Pro diabo se ia dar certo ou não, eles tinham um ao outro.

Após minutos de beijos, ou talvez tenham sido várias tardes chuvosas, Nicholas desceu os beijos pro pescoço de Selena. Ela sorriu, de olhos fechados, acariciando a cintura do marido com a ponta das unhas. Nicholas beijava a pele dela com tal intensidade, que além das marcas vermelhas que apareciam rapidamente na pele dela, o rosto da loura balançava levemente a cada movimento dele. O sorriso de Selena era satisfeito, enquanto o marido a atiçava. Só que a cama estava muito longe. Longe demais pra mais de um ano de desejo guardado. Selena foi se abaixando, e Nicholas junto, até que ela se sentou no chão impecavelmente lustrado. Nicholas deitou ela com toda a calma no chão, e após se deitar sob ela, voltou a beijá-la. Selena arfou durante o beijo, ao sentir a mão dele subindo-lhe pelo interior da coxa, acariciando-lhe firmemente. A mão de Nicholas ainda estava fria, pelo banho, mas isso não impedia que a pele dele se incendiasse sob a dele. Ele sorriu ao perceber a reação da esposa.

Nicholas: Se importa? – Perguntou, com um sorriso divertido no rosto, olhando sugestivamente pro vestido dela.

Demoraria demais pra desamarrar o vestido. Selena sorriu por antecipação, e abriu os braços pro lado. Nicholas riu levemente e se ergueu, começando a rasgar o vestido dela.
Ela o observou, com um sorriso de canto no rosto, lembrando-se da sua noite de núpcias. Novamente ela estava no chão, novamente ele lhe rasgava a roupa, novamente ele iria possuí-la, e mais uma vez ela não conseguiria fugir. Mas dessa vez era porque não queria.

Selena: Amor, pára! – Pediu, ruborizando, quando ele, após terminar de rasgar-lhe o vestido, que formou um tapete no chão em volta dos dois, pôs-se a observar fixamente o corpo dela, coberto apenas pelo espartilho e pelo mini-short.

Nicholas: Tão linda, ma petit. – Murmurou, tocando-lhe a barriga sob o corpete frouxo. Selena prendeu a respiração pelo toque e se arrepiou por ser chamada pelo velho apelido. Nicholas sentiu o estremecimento dela debaixo de sua mão, e sorriu, maliciosamente – Você gosta, petit? – Perguntou, observando-a, enquanto sua mão forte lhe subia pela barriga dela, debaixo do espartilho.

Selena: Umhum. – Murmurou, perdida no que sentia. Queria que ele lhe rasgasse o resto da roupa e lhe possuísse da maneira mais violenta que conseguisse, mas que acabasse com essa tortura.

Nicholas: Eu não ouvi, petit. – Perguntou, perverso, enquanto subia a mão da barriga pro vale entre os seios dela. Ele passou o dedo indicado firmemente naquele ponto, fazendo ela ter vertigens. Selena gemeu baixinho, agoniada por mais.

Selena: Gosto. – Admitiu, sentindo o rosto ruborizar.

Nicholas: Então peça para que eu continue. – Disse, parando a mão ali, sorrindo divertido. Selena abriu os olhos, encarando-o incredulamente. Mas ele estava falando sério.

Selena: Nem sonhe com isso. – Disse, com a sobrancelha erguida.

Nicholas: Pede pra mim, petit. – Murmurou, após se deitar por cima dela, perto de seu ouvido. – Diz pra mim o que você quer que eu faça. Eu sou seu. Estou esperando as suas ordens. – Selena fechou os olhos, sentindo o hálito quente do marido na pele dela – Pede, petit. – Selena negou com a cabeça. Nesse momento ela sentiu os dedos dele começarem a tatear-lhe a pele. – Mande em mim. – Pediu com a voz rouca, antes de morder a orelha dela.

Selena: Nicholas, pára com isso. – Implorou, torturada. Ele sorriu abertamente ao ver a reação dela.

Nicholas: Eu não estou pedindo tanto. Me diga o que você quer, e eu farei.- Instigou, soprando o pescoço dela de leve, vendo-a se arrepiar.

Selena suspirou, dividida. Era humilhante pedir. Mas seus seios já ardiam, de tanto que Nicholas a atiçava, por nada. Ela prendeu a respiração, e ele observou-a curiosamente. Depois sentiu a mão da mulher, tímida, puxando a sua. Ele sorriu ao ver o que ela fazia.

Nicholas: É isso? – Perguntou, perverso, e se apossou do seio dela fortemente, possessivo. Selena gemeu, inclinando a cabeça pra trás. Estava difícil pra Nicholas, também. Vê-la ali, quase nua, deitada no chão, ter sua mão sob o corpo dela, sentindo ela se contorcer por ele, o colocava no auge de sua excitação. Tanto que sua calça já o incomodava.

Nicholas se surpreendeu quando Selena o empurrou, instantes depois. Ele caiu deitado no chão ao lado dela, e observou a mulher, sorrindo, vingativa, sentar-se no colo dele, se inclinando sobre o mesmo. Ele sentiu os lábios dela oprimirem o seu, puxando-o pra um beijo desesperado, sedento. Ele não entendeu a intenção dela, até que sentiu a mãozinha dela descer-lhe pela calça.

Nicholas: Selena. – Avisou, encarando-a seriamente, enquanto ela sorria. Não se devia atiçar um homem desse modo. Muito menos ele.

Selena: Você gosta, meu amor? – Repetiu a pergunta, olhando-o gloriosamente, enquanto um fio louro se sobressaia sobre seu rosto. Nicholas sentiu ela apertar-lhe o membro firmemente, e gemeu com isso. Onde fora parar a Selena inocente, que ele dominava com facilidade?

Nicholas: Selly. – Murmurou, engolindo em seco. Aquela realmente era uma brincadeira perigosa. Perigosa demais pra ela.

Mas Selena não se importou com o aviso. Quem avisa, amigo é. E desde quando Nicholas era seu amigo? Ela rasgou a camisa dele, que riu. Ela teve mais dificuldade com a camisa fina que ele com o vestido e suas diversas camadas. Ele parou de rir quando ela novamente começou a atiçar sua intimidade. A mão dela era inocente, inexperiente, o que excitava ainda mais ele. Ela desceu a boca pela pele do pescoço do mesmo, instigando-o.

Nicholas: Selena, não judia. – Murmurou, antes de soltar um gemido agoniado, ao sentir a língua dela tocar sua barriga.

Selena: Não gosta, amor? – Perguntou, fazendo biquinho, com uma voz que provocava ainda mais ele.

Nicholas observou Selena por um instante, transtornado. Demônios, aquela mulher era sua perdição.

Nicholas: Maldição. – Murmurou pra si mesmo, terminando de rasgar a roupa dela.

Havia acabado ali o jogo. Selena abraçou Nicholas com força, e ele se apossou da boca dela agressivamente. Ele deitou ela novamente no chão, livrou-se do resto de roupa que o segurava, se pôs entre as pernas dela e a invadiu violentamente. Selena gritou, extasiada com aquilo, e ele gemeu pelo alivio. Juntos, novamente, como eu um só. Selena enlaçou as pernas na cintura dele, que segurou a coxa dela possessivamente. Então ele começou a se mover, e todo o sofrimento, toda a saudade que ela tinha passado não era nada. Os movimentos dos dois eram tão fortes, tão intensos, que as vezes as costas de Selena se arrastavam de leve pelo chão.
As costas do moreno já estavam possuídas pelas unhas dela, do mesmo jeito que o pescoço e o colo dela já estavam da cor de sangue. Nicholas mordia o lábio, pois fazia força, e tinha o rosto enterrado no ombro dela. Selena tinha uma mão no cabelo dele, e as vezes puxava, pelas estocadas fortes que recebia. Se houvesse alguém naquela mansão, com certeza ouviria os gemidos, até gritos dos dois. Os minutos se passaram, a chuva caia lá fora. Selena, com um ultimo grito, desfaleceu-se, sorrindo, satisfeita. Minutos depois foi a vez dele, que com um grunhido, se satisfez. O silêncio reinou por instantes, enquanto os dois se recuperavam.

Nicholas: Eu machuquei você. – Murmurou, ao ver a marca da boca e dos dentes dele no colo dela. Ela estava quieta, ainda anestesiada, acariciando lhe as costas e os cabelos.

Selena: E você deve ter perdido metade do cabelo comigo. – Comentou, sorrindo.

Nicholas: Algo me diz que metade das costas, também. – Observou, brincando. Selena abaixou o olhar, e viu os vários traços cor de sangue que ela deixara ali.

Selena: Me perdoe. – Pediu, envergonhada, tocando as marcas que deixou, como se seus dedos fossem cura-lo.

Nicholas: Tola. – Ele deu um beijinho no queixo dela, que sorriu – Eu machuquei você? – Perguntou, sério e preocupado agora. Se excedeu com a força.

Selena: Não. Foi bom. – Admitiu, corando, e ele sorriu – Mas se eu não conseguir andar amanhã, a culpa é toda sua. – Nicholas riu, e ela sorriu.

Nicholas: Nunca foi assim, não é? – Perguntou, acariciando o cabelo dela.

Selena: Não tão violento. – Admitiu, e Nicholas fez uma careta – Cala a boca. Eu adorei. – Ela mostrou a língua pra ele, enquanto lhe acariciava o cabelo

Nicholas: Sério?

Selena: Sério. Me lembre de provocar você mais vezes. O resultado é prazeroso. – Sorriu, manhosa.

Nicholas: Eu te amo. – Disse, olhando ela.

Selena: Eu sei. – Brincou, encarando o marido. Instante depois ele a beijou, levemente. Os lábios de Selena estavam doloridos, mas estava valendo. Tinha que dar certo, pelo menos dessa vez.

Nicholas: E lá se foi mais um vestido. – Comentou, puxando o tecido preto pra cima dos dois.

Selena: Você já deve ter detonado mais de 10. – Fez uma careta.

Nicholas: Pense pelo lado positivo, foi melhor que a cama. – Brincou, sorrindo.

Selena: Que? – Ela riu dele.

Nicholas: A cama teria quebrado. – Constatou, e Selena arregalou os olhos – É sério.

Selena: Pára. – Tapou a boca dele.

Nicholas: Você fica linda quando tem vergonha. – Comentou, acariciando o rosto dela.

Selena: Deve ser por isso que você me envergonha tanto. Tsk tsk. – Fez sinal negativo com a cabeça.

Nicholas: Você está com frio? – Perguntou, sentindo a pele dela esfriar sob a sua.

Selena: Um pouco. – Admitiu – Também, olha a chuva. – Indicou o barulho forte da chuva batendo nas janelas.

Nicholas: Vem.

Nicholas se soltou dela e a carregou, deixando o resto das roupas dos dois no chão, e levou ela pra cama, colocando-a debaixo do edredom, e deitando-se do seu lado. Depois, os dois ficaram se encarando, sem dizer nada.

Selena: Eu senti saudade. – Admitiu, abraçada a ele, fazendo carinho em seu peito.

Nicholas: Você não sabe o que é saudade. – Respondeu, colando a testa com a dela.

Selena encarou Nicholas por um momento. Ela via seu futuro nos olhos dele. Ele sorriu, e a beijou levemente. Mas como nós já conhecemos Selena e Nicholas, a coisa passou dos limites, novamente. As mãos de Nicholas pareciam pertencer ao corpo dela, enquanto ele preparava ela.

Selena: Nicholas! – Chamou, rindo, quando ele se deitou sob ela, e se pôs a beijar-lhe o ombro.

Nicholas: É o meu nome. – Respondeu, sorrindo, sob a pele dela.

Selena: Não! – Repreendeu, ainda rindo.

Nicholas: Não quer? – Deu a opção a ela, dando um beijinho em sua maxilar.

Nicholas encarou ela, esperando sua resposta. Não se chatearia se recebesse um não. Nada o chatearia agora. Selena o encarou por momentos, sentindo o amor pulsar dentro de seu peito. Ela acariciou o rosto dele, que sorriu pelo carinho. Então ela sentiu o pé dela lhe acariciando a perna, enquanto ela lhe dizia “sim”, enlaçando as pernas em sua cintura. Ela sorriu junto com ele, mordendo o lábio. Selena pegou o rosto dele com a mão, e o beijou apaixonadamente. Entre o beijo, ela sentiu a mão dele segurar-lhe o quadril, e ele se por a invadi-la, lentamente. Ela soltou um gemido fraco e se abraçou ao marido, sentindo ele possuí-la, cada vez mais. Ele deu um beijo de leve na trave da boca dela, que sorriu de olhos fechados. Os dois começaram a se movimentar juntos, em uma dança que proporcionava um prazer indescritível aos dois.
Os minutos se passaram, e a entrega dos dois era total. Dessa vez, foram juntos. Selena gemeu, satisfeita, e Nicholas gemeu o nome dela, antes de amolecerem. Passaram minutos assim. Até que Nicholas começou a rir.

Selena: Em nome de Deus, qual o seu problema? – Perguntou, dando um tapinha na testa dele.

Nicholas: Desejo por você. – Respondeu, tranqüilo, e Selena beijou os lábios dele de leve. Nicholas descansou o rosto no colo dela, que o abraçou pelas costas, e assim os dois dormiram, felizes, satisfeitos, plenos.

Selena e Nicholas dormiram por, em média, 3 horas e meia. Começava a anoitecer quando acordaram. A falta de barulho na casa avisou que ninguém havia chegado. Selena acordou primeiro, e olhou o marido, pensativa. Por fim, sorriu, deu um selinho de leve nele e separou seu corpo do dele, se levantando. Cobriu Nicholas e foi pro banheiro. Estava tomando banho, quando ele entrou no cômodo, sonolento ainda.

Nicholas: Porque não me chamou? – Perguntou, passando a mão no rosto, olhando ela. Ele havia vestido sua calça abrigo novamente, e estava sem camisa. Selena tomava banho dentro do box. Era um vão meio elevado do chão, com uma parede azulejada branca que cobria até o colo da pessoa. Desse modo ele só via o colo, o ombro e a cabeça dela. Selena estava terminando de lavar os cabelos.

Selena: Porque você parecia um anjo dormindo. Seria covardia. – Ele sorriu e ela soltou um beijinho pra ele, entrando debaixo d’agua, pra tirar a espuma do cabelo.

Nicholas se encostou na bancada do banheiro, e ficou observando ela. Tão perfeita, e tão alheia de sua perfeição. Ela enxaguava os cabelos com naturalidade. Ele viu ela sair de debaixo d’agua, pegar um creme de um pote que estava perto do xampu dela, ele supôs que fosse condicionador, e por no cabelo, massageando-o em seguida. Logo após ela entrou na agua de novo. Ele nem podia acreditar que finalmente ela estava ali. Porém, reparou que ela estava quieta demais.

Nicholas: Aconteceu alguma coisa, petit? – Perguntou, olhando ela, que estava meio distante.

Selena: Ahn? – Ele riu dela, que sorriu – Não, nada. Só estou um pouquinho preocupada. – Admitiu, enquanto tirava o creme do cabelo.

Nicholas: Com o que? – Perguntou, se aproximando.

Selena: Rosalie. Eu não gosto que ela fique na rua, exposta, quando o tempo está assim. – Disse em relação a chuva, que não parava – Ela se resfria com facilidade. – Comentou, molhando o pescoço.

Nicholas: Não se preocupa. Demetria não vai deixar ela exposta. Logo ela vai estar aqui, gritando como sempre. – Comentou, se encostando na parede do box, olhando ela.  Selena riu.

Selena: Você ainda quer ter filhos? – Perguntou, olhando a ponta dos cabelos.

Nicholas: Com você? – Selena ergueu uma sobrancelha, ele riu – Quantos você quiser. 20. 30. – Selena arregalou os olhos, e ele sorriu.

Selena: Bobo. – Disse, se encostando na parede também, de modo que os corpos dos dois só ficaram separados pela parede do box. – Te amo.

Nicholas: Eu também. Mas vou te amar menos se você não me der um beijo. – Disse, prendendo o riso. Selena sacudiu a mão, chuviscando agua nele, que se esquivou. – Umzinho só? – Pediu, aproximando o rosto do dela.

Selena: Só um. – Impôs, brincando, enquanto observava ele.

Nicholas fingiu pensar no assunto, depois balançou a cabeça negativamente. Mas antes que Selena pudesse reclamar, ele puxou o rosto dela com a mão, e se apossou da boca dela sedentamente, e não havia mais motivo pra reclamar.

Nicholas: Estúpida. – Acusou, ao solta-la.

Selena: Idiota. – Rebateu, com a sobrancelha erguida.

Os dois se olharam, e se beijaram de novo. E a bendita parede no meio.

Selena: Amor. – Chamou, com um sorriso de canto.

Nicholas: O que? – Perguntou, olhando-a, divertido.

Selena: Você não quer vir aqui? – Ela apontou pro lugar onde a agua do chuveiro caia, e sorriu travessamente.

Nicholas: De novo? – Questionou, prendendo o riso.

Nicholas viu Selena fazer uma careta, e depois ruborizar. Ela ergueu a sobrancelha pra ele depois se abaixou atrás do muro, sumindo da visão dele.

Nicholas: Petit? – Chamou, rindo, olhando pra baixo.

Selena: Petit é a senhora sua avó. – Retrucou, e Nicholas riu mais ainda, sentindo a vergonha na voz dela.

Ele, ainda rindo, fez a volta e entrou no boxe, encontrando ela rubra de vergonha, encostada na parede, com uma mão no rosto.

Nicholas: Psiu! – Chamou, se aproximando. – Vem aqui, minha taradinha.

Selena: Agora eu não quero mais. – Disse, gloriosa, sorrindo.

Nicholas: Porque não, vida minha? – Perguntou, se aproximando mais dela.

Selena: Porque não. – Ela fez um biquinho – Se quiser, agora, vai ter que pedir. – Murmurou pra ele, sorrindo.

Nicholas: Você quer que eu peça? – Perguntou, avançando pra ela, que recuou, se encostando na parede.

Selena: Quero. Vai ter que implorar. – Impôs, sorrindo de canto.

Nicholas: Por favor? – Murmurou no ouvido dela, após prensa-la na parede. Selena estremeceu.

Selena: Por favor o que? – Perguntou com os lábios entreabertos

Nicholas: Deixa eu amar você? – Perguntou, com a boca colada ao ouvido dela. Selena soltou um gemido fraco, involuntário ao ouvir isso.

Selena: De novo? – Perguntou, irônica. Mas sabia que já estava entregue a ele.

Nicholas: De novo. – Confirmou, dando um beijo chupado no pescoço dela – E outra vez. – Beijou novamente, outro ponto. Selena suspirou – E sempre. – Finalizou, erguendo o rosto pra encara-la.

Nicholas encarou Selena por segundos, e ela acariciou o rosto dele com a mão molhada. A água fria caia sobre os dois, e a calça que Nicholas vestia já estava completamente molhada. Ele suspirou, derrotado, por fim, e segurou o rosto dela, para beija-la. E assim eram um do outro, e não havia mais jeito. Os dois se livraram da calça dele, que virou um bolo cinza, ensopado, no canto do banheiro. Nicholas carregou Selena, deixando-a prensada na parede, e ela enlaçou as pernas na cintura dela. Selena deu um grunhido fraco quando ele a invadiu. Estava sensível, essa era a terceira vez que ia pra cama com ele em menos de 12 horas, sendo que a primeira vez foi excessivamente agressiva. Nicholas a olhou, preocupado, mas ela sorriu e o beijou. Os minutos passaram, e eles se pertenciam. Tempos depois, com o ultimo gemido, os dois se satisfizeram.

Nicholas: Você é louca. – Acusou, ainda abraçado a ela, que ria. – Espera. – Ele pediu, soltando-a, olhando pra baixo.

Selena: O que houve? – Perguntou, confusa.

Nicholas: Rosalie. – Ele sorriu de canto. Nesse momento o gritinho sorridente da menina invadiu o segundo andar.

Selena: Como você faz isso? – Perguntou, incrédula. Nicholas riu.

Nicholas: Se eu contar, você não vai acreditar. – Debochou, ainda rindo. Selena jogou uma mão de água nele, que se defendeu com os braços, rindo. – Eu te amo, mulher. – Disse, rindo, enquanto abraçava ela novamente.


Selena: Eu também, ridículo. – Respondeu, com um bico engraçado. Ele deu um beijinho no bico dela, e outro na testa. Em seguida terminaram o banho, conversando, e foram se aprontar. Rosalie esperava pelos dois.



Comentem Gattonas


Creditos: Samilla Dias

4 comentários:

  1. Capitulo mais perfeito de todos ! Posta mais amanha. Vai ter 4neh:D:D:D

    ResponderExcluir
  2. Postei uma novo história
    http://tudoqueeumaisqueroevoce.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Awnn, encontrei uma fic foda, e ela se encontra com o nome de história Nelena (*ignora)kkkkkkkkkkkk
    amor, tudo bom?É o seguinte, estou começando uma fic nova, vi seu comentário no Paradise fics e estou super ferliz de ter visto seu blog ownnt *.*, passa no meu, estou te seguindo agora :) http://jemisdiary.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir