quinta-feira, 5 de junho de 2014

Original Sin - 36 Capitulo

| |





Joseph: Demi, não! – Insistiu com a esposa, calmamente

Demetria: Mas eu não quero ir sozinha. – Retrucou, fazendo bico

Selena estava passando pelo corredor, e achou graça da voz da irmã. Ia continuar seu caminho, sozinha, quando ouviu seu nome.

Joseph: Mas a Selena não, enlouqueceu?

Demetria: Quem mais? – Questionou

Joseph: Eu vou com você. – Propôs, calmamente

Demetria: Amor, você não entende nada disso. – Joseph não respondeu, derrotado – Eu preciso comprar roupinhas pro Diego, pra Suri, pro Théo, coisas da casa. Só a Selly pode me ajudar.

Joseph: Demi, meu amor. – Ele caminhou um pouco, passando a mão no cabelo – Seattle inteira está comentando sobre Nicholas e Samatha. Comentando abertamente. Ele anda com ela pela cidade durante o dia. Vai criar uma situação desagradável. – Ele suspirou – Eu não quero você envolvida nessa história.

Selena voltou pelo corredor, e fingiu estar chegando agora, pisando forte, fazendo suas botas fazerem barulho no assoalho. Percebeu que Demetria e Joseph se calaram.

Selena: Demi?

Demetria: Oi? – Respondeu, tentando parecer normal

Selena: Quando você vai à cidade? – Perguntou, tranquila. Demetria e Joseph se encararam brevemente

Demetria: Eu...eu estava planejando ir amanhã, se não estiver chovendo muito. – Ela pigarreou, nervosa. Uma das características mais marcantes de Demetria é que ela não conseguia disfarçar quando estava nervosa. – P-porque?

Selena: Quero comprar um vestido. – Respondeu, calma, mas achando graça do desespero da irmã – Vou com você. Tem algum problema? – Perguntou, olhando Joseph.

Joseph: Nenhum. É bom, assim você faz companhia a Demetria.

Selena: Perfeito, então. – Sorriu – Vocês viram Gregg? – Perguntou, querendo matar o assunto.

Joseph: Estava no escritório, organizando uns papéis.

Selena: Com licença. – Segurou a aba do vestido e saiu.

Selena caminhou pensativa até o escritório. Era só o que lhe faltava, ficar presa em casa por causa de Nicholas. Ela não precisava de vestido algum. Mas compraria mais vestidos pretos. Não tinha muitos, e agora era a única cor que usava.

Selena: Posso interromper? – Perguntou, entrando no escritório

Gregg: Poder não podia, mas já interrompeu. – Respondeu sem dar atenção, Selena ergueu uma sobrancelha e ele riu – Brincadeira. – Selena sorriu

Selena: Tem algum compromisso pra amanhã? – Perguntou, se aproximando dele, após fechar a porta do escritório.

Gregg: Preciso deixar uns pacotes no correio, checar alguns papéis, fora o trabalho normal. Por quê? – Perguntou, oferecendo a perna esquerda pra ela se sentar

Selena: Vou ao centro com Demetria amanhã. – Ela se sentou no colo dele – Pensei que você pudesse vir conosco. – Disse, calma. Gregg lhe fazia um bem incalculável.

Gregg: Que horas vocês vão?

Selena: Pela manhã, após o café. Suri, Théo e Diego precisam de coisas, e eu e Demetria vamos abastecer a casa. Além do mais, queremos voltar pro almoço.

Gregg: Saio cedo, antes do café. Assim resolvo o que tenho que resolver e encontro vocês lá. – Disse, sorrindo torto

Selena: Não precisa. – Ela acariciou o rosto dele – Eu só convidei porque pensei que estivesse desocupado e... – Ele pôs um dedo na boca dela

Gregg: Calada. – Ordenou, brincando – Encontro você lá, e ponto. – Selena sorriu, e ele estendeu o rosto, esperando um beijo. Ela fez uma cara pensativa, como se avaliando ele. Gregg ergueu a sobrancelha, ela riu e o beijou.

No dia seguinte, todos tomaram café em calmamente. Nicholas não dormiu em casa. Logo Selena e Demetria seguiram na carruagem, conversando. Demetria era a mesma tagarela de sempre. Era bom, fazia Selena rir. Demetria usava um vestido azul marinho, e Selena, preto. Foram primeiro a loja das roupinhas de Suri e Théo, que era a mais próxima.

Demetria: Eu devia ter trazido ele. – Comentou, olhando um macacãozinho – Será que dá? – Perguntou, avaliando o tamanho

Selena: Eu acho que fica grande. – Comentou. As pernas do menino pareciam menores que as da roupa.

Demetria: É, deixa esse pra lá. – Colocou o macacãozinho no lugar de novo. – Escolhendo pra você? – Perguntou, animada, ao ver Selena olhar o vestidinho que estava a mostra.

Selena: Quem me dera. – Disse, tristonha, olhando os detalhes do vestidinho

Demetria: Quem te garante que não tem um bebê com você? – Animou

Selena: Minhas regras vieram na semana passada. – O sorriso de Demetria desmoronou, Selena riu.

Demetria: Selly, você não se incomoda? – Murmurou, com a cabeça baixa, olhando a irmã

Selena: Com quê? – Perguntou, distraída. Demetria não respondeu, e Selena ergueu o rosto. A irmã estava da cor de sangue. Selena percebeu porque. As pessoas na loja, na rua até, olhavam Selena, comentavam. Duas mulheres que estavam ali riram abafado, disfarçando. Selena riu – Com isso? – Demetria assentiu – Não, não me importo.

Demetria: Se quiser, podemos ir embora. – Sugeriu, preocupada

Selena: É claro que não, não seja boba. E eu ainda quero comprar os meus vestidos. – Encerrou o assunto, virando o rosto. Demetria riu da determinação dela.

Demetria: Você acha que fica bem em mim? – Perguntou pela 4ª vez, olhando o manequim

Selena: Acho que ficará divina. – Repetiu a resposta, Demetria pareceu gostar. Selena se deparou com uma camisola, vermelha como os cabelos de Demetria, que acabara de chegar. Era ousada pra aquela época. – Ei, olhe isso. – Demetria se virou – Faça uma surpresa à Joseph. Ele vai adorar. – A ruiva corou, e Selena riu gostosamente.

Demetria: Cada coisa que você me diz que... Ah, não. – Ela estancou, olhando pro lado de fora – Ah, Selly. – Se lamentou. Bem que Joseph tinha avisado.

Selena virou o rosto delicadamente pra ver o que chocara tanto a irmã. Nicholas vinha andando com Samatha, calmamente, na rua. Agora todas as pessoas olhavam Selena. Certamente esperando um escândalo, não se sabia. Selena ergueu a sobrancelha pra cena, e deu as costas.

Demetria: Ah, Selly, pelo amor de Deus, vamos embora. – Pediu, nervosa. Devia ter escutado Joseph, repetia pra si mesmo, embaraçada.

Selena: Agora escuta aqui, Demetria. – Se virou pra irmã, calma. – Nós sabíamos disso. O principal, eu sabia disso. Pra mim não é surpresa nenhuma, e eu não estou com vergonha. Ele deveria estar, não eu. Eu vou ficar. Se você quiser ir, sinta-se a vontade, mas eu espero que fique, não quero ficar sozinha. Vamos lá, você se estressa com cada coisa. – Demetria sorriu, e Selena entregou a camisola a ela, que se assustou, fazendo a irmã rir.

Selena ainda ria, entregando a camisola a Demetria, que ignorava ela, com bico pra prender o riso, quando uma voz masculina lhe chamou.

XXXX: Isso é seu? – Perguntou, debochado, segurando a barra da camisola.

Selena sorriu. Conhecia aquela voz de longe. E sabia que quando se virasse, alguém cujos cabelos refugiam em bronze estaria ali.

Selena: Na verdade, é da Demetria. – Sorriu

Gregg: Sério? – Provocou

Demetria: Mentira! – Grasnou, com vergonha. Selena e Gregg riram em coro. – Selena, eu vou matar você! – Ela pegou um cabide e partiu pra cima de Selena, que correu pra trás de Gregg, rindo. Gregg, que tremia de rir, cobriu o rosto com os braços, enquanto Demetria tentava passar por ele.

Só que o riso de Selena e Gregg alcançou Nicholas, que passava com Samatha pela porta da loja. Ele virou o rosto, e sua expressão congelou ao ver o irmão protegendo a mulher, que se agarrava a cintura dele, rindo. As pessoas da loja achavam graça da brincadeira. Mas Nicholas não gostou.

Nicholas: Sabe... eu estava pensando...

Samatha: Em que? – Virou-se pra ele

Nicholas: Seu pescoço... – Fez cara de pensativo

Samatha: O que tem? – Passou a mão no pescoço, confusa

Nicholas: Merece um colar. Diamantes. – O rosto de Samatha se iluminou com um sorriso enorme – Porque você não vai até ali, - Ele apontou pra joalheria – E escolhe um colar? Mas eu quero um grande, bonito. – Samatha assentiu, radiante, e após selar os lábios com os dele, o obedeceu.

Nicholas sorriu olhando a morena se afastar, feliz. Depois voltou-se pra loja onde Selena estava. Ele já não sorria. Nessa altura Demetria já parara de tentar acertar Selena com o cabide. Agora olhava seu vestido verde de novo. Gregg estava distraído, dando sua opinião a Demetria. Selena estava distante dos dois, parada perto de um grande espelho, ajeitando seu vestido. Nicholas marchou até ela impacientemente.

Nicholas: Pensei ter te dado ordens de não sair da mansão. – Observou, chegando a ela. Selena ergueu o rosto, e quando viu ele, seu sorriso foi morrendo lentamente. – Esqueceu-se?

Selena: Querido, eu me lembro de tudo o que você me disse. – Comentou, calma, tirando um amasso que Demetria deixou no tecido preto – Inclusive das palavras que anularam todo o resto. – Ela ergueu os olhos, pra ele.

Nicholas: E então?

Selena: Estou com Demetria e Gregg. Vim com eles, vou voltar com eles. Espero, sinceramente, que você não tenha imaginado que eu ia ficar trancada em casa. – Ela pegou a camisola que oferecera a Demetria, e moldou no corpo, com uma careta. Era berrante demais.

Nicholas: Não me desafie. – Ameaçou

Selena: Não me subestime. – Rebateu, virando-se pra ele

Nicholas: Deve obediência ao seu marido. O que você está fazendo vai contra a lei de Deus. – Comentou, debochado

Selena: Você está me traindo com um fantasma. Isso sim é pecado. – Disse, sorrindo de canto. Nicholas riu.

Nicholas: Ninguém nunca o cometeu. – Observou, sorrindo, divertido

Selena: Então é um Pecado Original, mas ainda assim é um pecado. – Concluiu, calma.

Nicholas: Você é tão frágil. Frágil demais para o que está desafiando. – Comentou, erguendo a mão pro rosto dela. Selena se esquivou rapidamente.

Selena: Por favor. – Evitou, com expressão de nojo. Nicholas sorriu, triunfante, com a náusea dela.

Nicholas: Vá pra casa. Agora. – Ordenou, ainda sorrindo

Selena: Eu irei. Mais tarde. Ainda tenho muito a fazer aqui. – Ela passou a mão na sobrancelha, e o prata com o dourado da aliança dela agrediu o olhar dele

Nicholas: Selena, não me provoque. – Ele já não sorria.

Selena: Onde está sua dama, Nicholas? – Perguntou, com a expressão intrigada, olhando em volta. Nicholas riu.

Nicholas: Na joalheria. – Informou, divertido

Selena: Vá até lá, e dê ordens a ela. – Sugeriu, sorrindo, tranquila, e pôs-se a sair, mas ao passar por ele, parou. – A propósito, você está fedendo a perfume vagabundo. – Avisou, e saiu, tranquila. Nicholas riu de leve e observou a mulher desfilar até o irmão.

Gregg: Ele te incomodou? – Perguntou, pronto pra partir pro irmão

Selena: Não mais que o normal. – Respondeu, calma – Demetria, dá certinho no seu corpo. – Avisou, entregando a camisola de novo

Demetria: Que? – Virou-se, distraída – Que diabo!– Selena e Gregg caíram no riso – Me dá isso aqui! – Pediu, estressada. Selena, rindo, passou a peça a ela. A irmã jogou a peça longe, e em seguida atirou o cabide em Selena de novo. Gregg puxou Selena pra si bem na hora que o cabide ia acerta-la, e a ergueu do chão.

Gregg: Pra quê tanto rancor no coração? – Perguntou, vermelho de tanto rir

Demetria: Não conheço vocês dois. – Finalizou, chamando o vendedor pra embalar o vestido verde que estava namorando.

Nicholas observava a cena ao longe, com as sobrancelhas franzidas, e a maxilar trancada. Selena estava feliz. Isso não o incomodava. Mas ela estava feliz... com Gregg. Isso mudava completamente a situação. Ele observou a morena abraçada ao irmão, rindo. Rosnou de raiva, mas resolveu deixar isso pra lá, por enquanto. Samatha o esperava.



Comentem Gattonas

Creditos Samilla Dias


Que bom que vocês tão gostando da fic. Quando li a primeira vez ameii, odiei, chorrei. espero que vocês continuem acompanhando. Vem muita coisa por ai ainda.

Beijo para nossa gattona Samilla Dias

4 comentários:

  1. Eu to na fase de odia e chora kkkk foi a melhor q ja li !!! Posta logo e se quiser pode matar samantha,nao me importo ! Bem feito pro Nick (nao gosto dela com gregg) mas pra ele ver q nao ta com essa bola toda.

    ResponderExcluir
  2. awn é tão... ai eu nem sei oque dizer, amo essa fic. posta logo viu diva! A eu queria saber se você gostaria de se afiliar ao meu blog :3

    ResponderExcluir