quarta-feira, 18 de junho de 2014

Original Sin - 52 Capitulo

| |



Nicholas: Joseph! – Chamou, limpando o rosto, e indo atrás do irmão.

Gregg: O que houve? – Perguntou, ao se bater com Nicholas.

Nicholas: Selena fugiu. Me ajude. – Pediu, derrotado.

Pela primeira vez, Gregg e Nicholas foram irmãos. Irmãos unidos por um objetivo. Selena. .

Théo: Ela ainda está na cidade. – Observou, calmo, observando os primos. Joseph lia a carta de Selena, e Nicholas conversava com Gregg.

Nicholas: O que?

Théo: Selena. Ela ainda está na cidade.

Gregg: Como você sabe?

Théo: Não sei. Mas eu sei.

E ela estava. Henry não conseguiu tira-la da cidade. Ninguém ia ajudar Selena Jonas a fugir. Não conhecendo a fúria impiedosa de Nicholas. Ele deixou ela em um hotel isolado, longe, onde ninguém poderia acha-la. Um amigo de Henry, que era capitão de um cruzeiro, estava perto de Seattle, e concordou em ajuda-lo. Mas pra isso, Selena precisaria esperar um mês, por ai. Rosalie pegara um resfriado leve, nada demais. Selena sentia falta do marido como do ar.

Porque quando eu estou com ele
Eu estou pensando em você
Pensando
em você ♫

Selena: O que há, Rose? – Perguntou, atordoada, com a angustia da filha. Rosalie pegou a boneca com a qual Nicholas sempre brincara com ela, e mostrou a mãe – Não, Rose. – A menina insistiu – Não pode. – A menina observou a mãe, e depois ergueu o bracinho, apontando pra pulseira que Nicholas lhe dera. – Ele não está aqui, meu amor. – Ela viu os olhinhos da filha se encherem de água. – Não chore. Eu sinto falta dele, também. – Admitiu, carregando a filha.


Nicholas mandou revistarem toda a cidade. Nem rastro de Selena, ou Rosalie. Ele não tinha comido direito nos últimos dias, nem falava. Chorava as noites, por saudade da loura. Selena não estava muito diferente.

Henry: Ele está revirando Seattle de cabeça pra baixo, procurando por você. – Avisou, sentado na cama, enquanto Selena olhava algo na mala.

Selena: Alguma chance de ele me encontrar aqui? – Perguntou, virando-se pra encarar o irmão.

Henry: Muito pouco provável. Quase ninguém vem a este lugar. Entretanto, todo mundo sabe do que Nicholas é capaz.

Rosalie, que estava sentada no berço olhando sua bonequinha, ergueu o rosto e deu um gritinho animado ao ouvir o nome do pai. Selena suspirou.

Selena: Não, Rose. – Rosalie ficou murchinha de novo.

Henry: Tem certeza disso, Selly? – Perguntou, observando-a.

Selena: É o único jeito.

Henry: Talvez haja outro, menos doloroso. Pensa que eu não vejo seu sofrimento? Seu olhar vermelho de tanto chorar, toda vez que eu chego? Pensa que eu não sei que passa os dias aqui, chorando com saudade dele? Talvez o adeus não seja o melhor. – Observou.

Selena: Não é um adeus. – Negou, dobrando um vestidinho de Rosalie – É só algo necessário. É pra felicidade dele. – Disse, amarga – Quem ama não diz adeus.

Henry: Eu amava Maite, e eu lhe disse adeus. – Disse, pensativo.

Selena: É diferente.

Henry: É tecnicamente igual. A única diferença é que você tem escolha, e eu não tive. Ela se foi de mim, de uma vez pra sempre.

Selena: Não creio que seja de uma vez pra sempre. O verdadeiro amor sempre volta. – Ela sorriu de canto, pondo o vestidinho na mala.

Henry: O seu amor voltou?

Selena: Henry, por favor. – Implorou, cansada. Falar de Nicholas não lhe fazia bem.

Henry: Tudo bem. Mas pense bem, enquanto pode. Olhar pra trás e não poder fazer nada pra mudar é horrível. – Avisou, antes de dar um beijo na testa de Rosalie e sair.



Comentem Gattonas


Creditos: Samilla Dias

2 comentários:

  1. AHH NICOLAU ACHA LOGO ELA CRL!!!!!
    Meu Deus do céu vou acabar tendo um treco!
    Posta logo heim... se der hoje eu seria eternamente grata ;3

    ResponderExcluir