terça-feira, 3 de junho de 2014

Original Sin - 32 Capitulo

| |



O tempo passou, e a mansão Jonas podia ser considerada um lugar feliz. Apenas uma coisa atrapalhava. Selena não engravidou. Estava absolutamente frustrada com isso. Se enchia de esperanças, e então sua menstruação chegava, e ia tudo por água abaixo. Ela se irritava, chorava, mas o bendito filho não vinha. Nicholas a tranquilizava, lhe dizendo que eles tinham todo tempo do mundo pra conseguir o bebê, mas algo dentro do coração dela lhe dizia que não, que não havia todo esse tempo. E ela queria esse filho. Ela o desejava com cada fibra do seu ser. Agora eles estavam chegando ao restaurante mais fino da cidade, pra comemorar 6 meses do nascimento do herdeiro. Essa data só fez Selena se deprimir mais ainda. Diego estava em seu carrinho de bebê, preto, alto e elegante, entre a mãe e o pai. Eles conversavam animadamente enquanto não jantavam, e riam, até que aconteceu.

Joseph: Então nós pensamos em ir atrás de vocês, estávamos preocupados, ai vocês apareceram. – Citou o dia de São Valentim, em que N&S “sumiram” em sua caminhada. Nicholas riu, e Selena lhe deu um belo cutucão no estomago.

Nessa hora, uma mulher se esbarrou com um casal que passava, que se bateu fortemente com o garçom, que tombou pro lado, batendo-se em Suri e Théo. O Alvoroço foi total. O garçom, envergonhado e amedrontado por ter interrompido o jantar dos Jonas, pediu desculpa mil vezes. O casal se desculpou e saiu. Tudo estava bem. Ou quase. Faltava alguém.


Demetria: MEU FILHO! – Gritou, se levantando, ao olhar pro carrinho de bebê. Diego não estava mais lá.

Joseph: Que? – Virou-se assustado pra mulher, em seguida pro carrinho do filho. – MANDE TRANCAR TODAS AS PORTAS, AGORA! – Rugiu, virando-se pro gerente. O homem assentiu, nervoso, e deu ordens pra lacrarem o enorme restaurante.

Joseph, Demetria, Selena e Nicholas se espalharam entre as mesas, procurando. Mas foi inútil. Diego não estava mais lá. Selena estava se desesperando, quando ouviu o choro do menino. Ela se virou, e o viu nos braços de uma mulher alta, bonita, de cabelos pretos, que avançava apressadamente pra saída.

Selena: NICHOLAS! – Berrou, olhando o marido. Quando Nicholas olhou, viu só a sombra do vestido verde-musgo, luxuoso, que Selena usava. Ele disparou atrás dela.

Selena correu atrás da mulher, mas ela era rápida. Ouvia os passos de Nicholas vindo atrás de si, mas não podia se dar ao luxo de perde-la de vista. Essa perseguição durou até os fundos do restaurante. Lá, misteriosamente, o choro de Diego se silenciou, e a mulher já não estava.

Selena: Meu Deus, não. – Murmurou pra si mesma, correndo o local com o olhar, mas não havia ninguém.

Nicholas: Selly? – Perguntou, arfando, quando alcançou ela.

Selena: Levaram ele, Nicholas. – Respondeu, ofegando. – Eu... eu vi. Uma mulher, ela me viu, mas não parou de correr. Eu-eu conheço o choro do Diego. Ela sumiu. – Disse, desolada

Nicholas: Calma. A gente vai achar ele. – Prometeu, tentando tranqüilizar a esposa, mas não era fácil, Selena estava desolada. Pobre Demetria. Pobre Joseph. Pobre Diego.

Demetria estava desolada. Seu bebê... Ah, Deus. Nicholas levou ela, Selena e as crianças até a carruagem, precisavam ir pra casa. Selena nunca recuperou sua cor sadia após a surra que levou de Nicholas, continuou pálida, mas hoje sua cor era caótica.

Nicholas: Me prometa que vai ficar bem. – Pediu, tirando seu terno e pondo em volta do ombro dela.

Selena: Eu prometo. – Disse, rouca, se abraçando-se ao marido.

Nicholas: Cuide de Demetria. Tente acalma-la. Tê-la assim não vai ajudar. – Selena assentiu, com o rosto no peito do marido.

Selena: Encontre ele, por favor. – Implorou, erguendo o rosto pra ele. Nicholas assentiu.

Nicholas: Fique tranquila, vai dar tudo certo. – Ele ajeitou o terno nela – Agora vá. Eu preciso ajudar Joseph. – Selena assentiu, e Nicholas se curvou sobre ela, beijando-a docemente. Após isso Selena subiu na carruagem, e Nicholas observou enquanto ela sumia pela estrada. Em seguida se virou, e foi atrás de Joseph.

Joseph: Pro diabo com os processos que estão pendentes, encontrem o meu filho. – Rosnou, furioso. Nicholas nunca vira Joseph assim.

Delegado: Sr. Jonas, nós precisamos de um prazo de 48 horas pra mandar os nossos homens saírem a busca... – Interrompido

Joseph: Eu vou ser objetivo. Eu quero TODOS os seus homens na porta dessa delegacia em 10 minutos. Sequestraram o meu filho. É obrigação de vocês encontra-lo. – Ele respirou fundo – Dez minutos. – Lembrou, e saiu. O delegado nada mais pode fazer além de mandar convocar seus homens.

Em algum lugar, longe dali, uma morena entrava no quarto de um hotel carregando um Diego adormecido no colo.


XXXX: Até que enfim. – Retrucou uma voz masculina, vendo-a fechar a porta.

Maite: Não foi fácil, quase me pegaram. – Disse baixo, pra não acordar o bebê.

XXXX²: Mate o menino. – Ordenou, fria, agora uma voz de mulher, que entrava no quarto pela porta do banheiro.


Selena estava na carruagem, consolando Demetria, quando ouviu o trotar furioso de cavalos do lado de fora. Ela olhou pela janela, e era Nicholas. O cocheiro parou a carruagem, e Nicholas a alcançou.

Selena: O que houve? – Perguntou confusa, descendo da carruagem

Nicholas: Preciso que você venha comigo.

Demetria: Porque? – Perguntou, com a voz embargada

Nicholas: Ela viu a mulher que levou o Diego. Preciso que descreva ela. – Selena assentiu – Logo ela estará com você, Demetria.

Logo a carruagem seguiu seu rumo. Nicholas deu apoio pra Selena, que sentou de lado no cavalo, e ele se sentou atrás dela, pegando as rédeas. Então o cavalo estava voando, deixando poeira atrás deles. Selena nunca tinha cavalgado com Nicholas. Era... diferente. As costas dela estavam amparadas no peito largo dele, e ela sabia que aquele era o lugar mais seguro do seu mundo, mesmo parecendo que o cavalo ia levantar voo. A noite era fria, e o vento parecia ter a intenção de cortar o rosto dos dois. Nicholas passou o rosto pelo dela brevemente, e ela sorriu com aquilo. Num piscar de olhos estavam na delegacia. Selena descreveu Maite minuciosamente. Quando saiu da delegacia, se assustou. Havia um batalhão ali. Policiais, empregados da fazenda, gente que ela nunca viu.

Joseph: E então? – Perguntou, quando Nicholas se aproximou, segurando a mão de Selena

Nicholas: Está pronto. – Joseph assentiu – Vou leva-la pra casa. Demetria precisa dela. – Uma faísca de preocupação passou pelo olhar de Joseph, e depois o ódio tomou conta. Ele assentiu novamente, e Nicholas saiu com Selena.

Mais uma vez a sensação de voar. Só que dessa vez Nicholas segurou a rédea do cavalo com uma mão, e a cintura de Selena com a outra, acariciando-a possessiva e distraidamente. Ao chegar na mansão, ela o beijou novamente e foi cuidar da irmã. Nicholas voltou a cidade, e liderou com Joseph os homens. Varreram Seattle em peso. Nem sinal do Herdeiro. 




Não resistir, tive que fazer o teste pra ver como seria nosso Baby Diego. kkkkk
O que Acharam? 


Comentem Gattonas


Creditos Samilla Dias

3 comentários:

  1. ahm ja tenho minhas suspeitas.
    posta mais!!! to anciosa pra saber o que aconteceu!

    ResponderExcluir
  2. ahm ja tenho minhas suspeitas.
    posta mais to anciosa pra saber o que vai acontecer com o baby Jonas!

    ResponderExcluir