segunda-feira, 28 de julho de 2014

V - Amor Obscuro

| |



Chego em casa e já está noite. Demorei mais duas horas além do expediente com minha festa de despedida que Phill organizou escondido de mim. E foi uma surpresa e tanto, pois esperava chegar em casa antes das oito e já são dez e 21:00. Olho para Demi que já está sentada no sofá, toda arrumada para a balada. Estou tão cansada que preferia ficar a noite toda dormindo, como o senhor Jonas me aconselhou. Na verdade ele me deu uma ordem né, mas prefiro levar com um conselho para não me estressar com esse simples pensamento.

– Ah Demi, jura que quer sair mesmo? - Digo, fazendo beicinho. – Achei que você iria querer ficar curtindo a fossa essa noite, com seu pijaminha da deprê.

– Ah para né Gomez. Depois de ontem quero pegar geral hoje. Quero me esbaldar de bebida e cair na pista de dança a noite inteirinha. E VOCÊ irá comigo. - Ela responde autoritária, dando ênfase no ''você''.

– Poxa Demi, o dia foi puxado pra mim hoje, estou morta de cansaço. E a noite anterior também não ajudou muito. - Digo, me jogando no sofá exausta.

– Ah se for pelo lance com o David, pode levantar a bundinha desse sofá e tomar seu banho, pois terá essa noite para se desculpar com ele. - Ela diz

– Até parece que depois de ontem David irá comemorar com a gente. - Digo.

Ela me olha, dá seu sorrisinho de quem sabe de tudo.

– Ana já liguei para ele e fiz questão de que ele fosse com nós. E olha que foi difícil hein. Mas pelo menos vocês terão que se ver. - Ela diz e eu olho-a boquiaberta. - E até quem sabe dar mais uns amassos. - Ela completa, como quem não que nada.

– Você fez o que? - Pergunto, num sussurro.

Ela só sorri e pisca para mim. Levanto-me do sofá num pulo.

– PORQUE FEZ ISSO DEMETRIA LOVATO? - Grito com ela, que me olha assustada com minha atitude.

– Calma Selly, achei que.. - Interrompo-a na hora.

– VOCÊ NÃO TEM QUE ACHAR NADA. AGORA QUE NÃO VOU MESMO NESSA BALADA COM VOCE. - Continuo a gritar com ela. Olho pra ela que não diz mais nada. Viro-me, indo para meu quarto deixando-a sozinha na sala e grito novamente. - APROVEITE BEM A NOITE DEMETRIA. - Bato a porta do quarto com tudo.

Como ela pôde fazer isso comigo? Poxa, sei que tenho que me encontrar e me desculpar com David pela noite de ontem, mas tinha que ser justo hoje?! Jogo-me na cama de costas e levo minhas mãos à minhas têmporas, pressionando-as na intenção de aliviar a dorzinha que se instalou ali.

Pouco tempo depois, ouço uma batida na porta e sei que é Demi.

–Selly, posso entrar? Desculpa amiga, só quis fazer o certo. - Ela diz do outro lado da porta.

– Não é você quem tem que decidir o certo ou não. - Grito, em resposta.

– Posso entrar pelo menos? - Ela pede manhosa.

Suspiro pesadamente, me levanto e abro a porta para ela.

– O que você quer Demi? - Pergunto já exaurida.

– Quero me divertir com minha melhor amiga. Poxa, levei um belo par de chifres ontem e só estou querendo me jogar na pista até amanhecer com a única que me ouve e me entende. E também quero comemorar o início de uma fase em nossas vidas. Você e eu com nossos respectivos empregos. Você realizando um sonho de trabalhar com livros e eu com o jornalismo. Será pedir muito? - Ela diz melancólica e sinto meus olhos serem inundado pelas lágrimas.

Abraço minha amiga forte e deixo as lagrima escorrerem sem pudor.

– Desculpa ter gritado com você amiga. To sendo uma péssima amiga hoje, eu sei. Mas estou tão cansada. - Digo, manhosa.

Ela coloca as mãos nos meus ombros e me afasta um pouco e olha para mim.

– Só desculpo se cair na night comigo. - Ela diz e faz bico. Sorrio, secando minhas lágrimas.

– Geralmente quem faz bico aqui sou eu, sabe Lovato - Digo, rindo da cara dela.

– Ah mais hoje estou apelando para tudo, se isso fizer você ir comigo. - Ela diz, com olhinhos pidões.

– Se é para o bem geral da nação, diga ao povo que eu vou. - Digo, e caímos na gargalhada.

– Então, vá logo se arrumar que já está atrasada. David já está na sala esperando. - Ela diz e eu empalideço.

– Ele está aí?! - Balbucio, apontando para fora do quarto. Ela só assente com a cabeça. Respiro fundo.

– Ok, vou tomar banho. - Digo, num sussurro.

– Tá mais não demora. - Ela diz, se vira eu fecho a porta do quarto.

Corro imediatamente para o banheiro, me jogando dentro do box quase caindo e me enfio embaixo d'água. Deixo a agua dissipar a tensão do decorrer do dia e começo a me lavar. Saio do banho e corro para o closet, na intenção de achar uma roupa que fique bem de ultima hora. Acabo optando por um vestidinho leve e confortável. Coloco minhas sandálias de salto alto e passo uma maquiagem em combinação com meu look.

Solto meus cabelos e deixo-os cair em ondas grossas por minhas costas até a cintura. Dou mais uma olhada no espelho. -Hum, hoje tem– Ronrona minha deusa interior e sorrio. Ela está certíssima. Vou me acabar na night. Estou precisando disso. Pego minha bolsa com meu blackberry dentro e saio do quarto. Saio do quarto em direção a sala e ouço Demi e David conversando. Quanto entro na sala, os dois me olham e ficam mudos.

– O que foi gente? - Pergunto e nada, só o silêncio.

Olho para minha roupa para ver se está muito curta, se está mostrando minha bunda ou se meus peitos estão aparecendo e vejo que ambos estão cobertos. Volto meu olhar para os dois e eles continuam me fitando. Demi com um enorme sorriso no rosto. Já David está olhando para meu corpo, subindo o olhar metodicamente e vejo um sorriso se formar em seus lábios, mas quando seus olhos se deparam com os meus seu sorriso desaparece e seu olhar muda para um tom de mágoa. Me sinto mal na hora. Demi percebe o clima pesando e resolve quebrar o silencio.

– Está uma gata Selly. - Ela diz, se levantando e vindo até a mim. Pega minha mão, me gira e assovia. Solto uma risada de seu gesto e abraço-a quando fico de frente para ela.

– Sua boba. - Mostro a língua.

– Uma boba que você ama. - Ela diz sorrindo.

– Isso com certeza. - Digo com convicção e pisco para ela.

– Mas estou falando sério, você está linda Gomez. Não é mesmo David? - Ela diz e se vira pra David que está sério e não diz nada.

Sinto meus músculos se tencionarem na hora. Pelo visto a besteira foi grande. Capaz dele nunca me perdoar. Sem obter respostas de David, Demi ignora o clima novamente.

– Bora beber então galera? - Ela diz andando em direção à porta.

Saímos David e eu atrás de Demi, ambos calados e permanecemos assim o tempo todo dentro do carro. Só se ouvia a voz de Demi. Raramente ouvi a voz de David e quando isso aconteceu logicamente ele só dirigia a palavra à Demi.

Chegamos ao Trinity Nightclub por volta das 23:00 e o lugar está lotado. Muita gente se jogando na pista de dança. Logo nos acomodamos em uma mesinha de canto e David se oferece para pegar as bebidas.

– Vão beber o que? - Ele pergunta e espero Demi responder.

– Ah, vou beber uma cerveja de começo. - Ele assente com a cabeça.

– E você Selena? - Ele diz me olhando sério e resolvo ignorar sua mágoa.

– Um Kriptonita para começar. – Digo e ele se espanta.

– Nossa essa é forte. Tem certeza. - Ele pergunta com tom de deboche.

– Sim David, eu tenho pela certeza do que eu quero. - Cuspo as palavras pra cima dele.

– Não foi o que me pareceu outro dia. - Ele diz com ironia e me enfureço na hora.

– Olha, não tenho que te dar explicação do que eu vou beber. Você irá pegas as bebidas ou não ? Se não eu mesma pego. - Rosno e ele me olha pensativo. Solto um suspiro. - Quer saber, não precisa pegar nada para mim beleza?! Eu mesma pego. - Digo e saio em direção ao bar.

Quando estou quase chegando ao bar, sinto uma mão me puxar pelo braço e me virar e vejo que é David.

– O que foi? - Pergunto sem paciência.

– Desculpa, não quis te irritar. Só me preocupei com você, pois você não é muito forte pra esse tipo de bebida. - Ele diz, me olha entristecido e isso me quebra por dentro.

Pego na mão dele e o puxo para fora do recinto. Distancio-me um pouco com ele e quando vejo que já da pra conversar sem muito barulho começo a ficar nervosa. Ele me olha apreensivo. Respiro fundo.

– Olha me desculpa pela outra noite. Sei que nada do que eu diga aqui vai amenizar o que eu fiz, mas vou tentar. - Ele abre a boca para falar algo, mas o impeço, colocando a mão em sua boca. – Me escuta primeiro. Eu sei que você está magoadíssimo comigo, e com toda razão. Mas não posso, não quero e nem vou deixar uma amizade bonita como a nossa ir pro ralo por conta de uma besteira que eu fiz. Eu errei e errei feio contigo, mas você é o meu melhor amigo e não posso perder você. - Me aproximo dele e levo minhas mãos ao seu rosto, fazendo-o olhar nos meus olhos que a essa altura já estão cheios de lágrimas. – Será que todo o tempo que passamos juntos, todas a brincadeiras, as piadas, as saídas, as conversas que já tivemos vai ser dissipada por um momento de fraqueza meu? - Pergunto e ele só me olha fixamente nos olhos.

Depois de um tempo pensando ele fecha os olhos e solta um suspiro sofrido.

– Eu te amo Selena. - Ele diz simplesmente e abre os olhos. Fico muda por um instante. – Eu te amo Selly. - Ele repete e espera minha resposta. Continuo muda e então ele emenda. – Ver você nos meus braços foi o momento mais feliz da minha vida, mas ele acabou desmoronando quando eu ouvi você chamar por outro homem. - Ele diz entristecido e isso parte meu coração.

 Irrompo em lágrimas e ele me abraça apertado.

– Me desculpa. Eu não queria que fosse assim. Eu amo você David, mas como amigo. E aquele dia eu estava tentando te olhar com outros olhos. Mas aí deu no que deu. Eu queria muito, mas muito te amar do mesmo jeito, mas não dá. Só consigo te ver como meu melhor amigo. - Digo no ouvido dele e ele não diz nada.

Depois de um tempo abraçados, ele se afasta lentamente, pega meus rosto entre suas mão e seca minhas lágrimas.

– Olha se você não quiser me perdoar, tudo bem, eu entenderei. - Digo num soluço.

Ele abre um sorriso e me olha nos olhos.

– Hey pequena, você já disse tudo agora é minha vez de falar, certo? - Ele diz brincalhão e eu balanço a cabeça positivamente. – Por mais que eu esteja magoado com o que aconteceu, eu não quero perder sua amizade Selly. E vendo você se explicar desse jeito, já conta muito. Sinto-me importante na sua vida. Quando eu saí da sua casa naquele dia, eu estava com muita raiva. E hoje mais cedo no seu apartamento você me tratou com indiferença, como se nada tivesse acontecido entre nós. Senti-me um lixo. Fiquei magoado e com muita raiva por você não falar nada. Mas depois de tudo o que você disse agora, tudo já se dissipou. Não posso te obrigar a me amar e pelo fato de você ter tentando me dar uma chance já basta. Quero muito você como minha namorada, mas não se pode ter tudo o que quer né. Então se não a terei como namorada, a terei como amiga. Você é muito importante para mim Selly. Não posso te perder. E desculpa por ter te tratado mal no caminho para cá? - Ele desabafa. Eu o abraço forte e dou um beijo em sua bochecha. Afasto-me e o encaro.

– Claro que desculpo. Você tinha seus motivos. E eu também devolvi com as patadas que te dei já dentro da boate - Digo e sorrimos um para o outro.

– Pois, esta me devendo mais uma desculpa. - Ele diz zombeteiro. Mostro a língua para ele e ele revira os olhos. - E acabo de me lembrar de que tem uma Kriptonita te esperando lá dentro. - Ele completa e entramos novamente na boate.

Depois de cinco Kriptonitas, me jogo na pista com Demi e dançamos até chão. Uma rodinha se formou à nossa volta, mas não dou muita importância. Fecho meus olhos e só quero me acabar na batida da musica.

Depois de um tempo na pista com Demi, resolvo que tenho que ir ao banheiro. Vou até a mesinha onde David está só observando e bebendo, pego minha bolsinha e me direciono ao banheiro. Entro e vejo que está vazio, graças a Deus. Ouço meu celular tocar dentro da bolsa. Pego-o e vejo um numero desconhecido no visor.

– Alô - Digo com a voz embargada, pela bebida.

– Selena, te acordei? - Pergunta uma voz masculina do outro lado da linha.

– Me acordar?! - Começo a rir descontroladamente. - Se eu nem dormir ainda, como iria me acordar ?! - Digo meio enrolado.

– Selena, você está bem? - A voz masculina pergunta em tom de preocupação.

– Quem tá falando? - Pergunto elevando a voz e solto um soluço em seguida. Droga, a bebida faz isso comigo.

– você bebeu? Onde você está Selena? - A voz pergunta com irritação.

– Não interessa. Que merda. Quem é que está falando? – Respondo irritada

– Sou eu Nicholas Jonas. Não sai daí Selena. Estou indo te buscar agora. - Ele diz irritadíssimo.

– Nicholas?! Como você sabe meu numero? - Pergunto atônita.

– Não interessa. Estou chegando aí. - Ele responde e desliga na minha cara.

Olho para o celular, sem entender o que aconteceu e vejo que são 02:00 da manhã. Resolvo ignorar a ligação de Jonas e voltar pra pista de dança. Até parece que Nicholas Jonas vai aparecer aqui para salvar a donzela indefesa da pista de dança. Dou risada com meu pensamento e saio do banheiro em direção ao bar. Preciso de mais Kriptonita.

Peço ao barman duas Kriptonita e bebo uma atrás da outra. Volto para a pista de dança e vejo Demi e David se acabando de dançar. A volta deles vários corpos se misturavam ali. A batida, as pessoas dançando sensualmente. Várias pessoas se acabando pra esquecer dores, tanto emocionais, como físicas, era incrível como o poder da música podia envolver todos, assim como o poder da dança. 

Entrego-me à batida da musica eletrônica e começo a dançar sensualmente com David. Sinto suas mãos na minha cintura e desço até o chão com ele. Ao final da musica rimos um para o outro e ele se vira para pegar mais bebida.

Em seguida me jogo ao som de Lights de Ellie Goulding quando de repente sinto uma mão me pegar pelo braço e sair me arrastando pela boate ate a saída.

Puxo meu braço, tentando me desvencilhar da mão, mas só o que acontece é um apertão no meu braço. Quando vejo que estamos fora da boate, noto o belo homem que me encara raivoso. De repente toda minha tontura pela bebida se dissipa.

– O que está fazendo? - Pergunto atônita.

– Eu disse que viria te buscar. - Nicholas responde e dá um sorriso que não alcança os olhos.

Olho embabacada para ele.

– Como é que é ? - Digo, boquiaberta.

Ele desmancha o sorriso e me pega pelo braço novamente.

– Vamos que já está tarde. - ele diz me arrastando em direção à um carro com um homem vestido de terno e com os cabelo em um corte militar está parado com a porta aberta. 

Puxo meu braço com força, e dessa vez consigo me desvencilhar dele. Paro no meio do caminho e coloco as mãos na cintura.

– Eu não vou a lugar algum. Muito menos com você. - Digo petulante.

Ele me olha incrédulo por um instante. Em seguida inclina a cabeça para o lado e dá um sorriso diabólico.

– Baby, você não sabe o que está falando. - Ele se aproxima. - Vai continuar de birra? - Diz, me olhando sério.

Cruzo os braços, batendo o pé no chão e aceno em afirmativa.

– você quem quer assim. - Ele diz e se abaixa rapidamente, passando o braço envolta de minhas pernas, me jogando por cima do seu ombro.

– O que está fazendo? - Grito com ele que me devolve com uma tapa na bunda.

– Calada. - Ele rosna e me joga dentro do carro. Caio sentada no banco e ele entra no carro logo em seguida, fechando a porta.


Olho embabacada para ele, que só olha para frente, me ignorando, enquanto seu motorista dá partida com o carro. Fecho minha cara e jogo minha cabeça para trás, quando vejo o teto do carro rodar. Droga bebida, tinha que voltar a fazer efeito justo agora. Sinto uma dorzinha começar bem no centro da minha cabeça e fecho meus olhos na tentativa dela passar. Pouco a pouco a dor se esvai, sinto meus membros adormecerem e me entrego a tão bem vinda inconsciência.




Desculpa num ter postado esse final de semana, problemas tava com problemas na minha conta, Ja resolvi.


Mas tarde se tiver comentário, posto mais uma.

Leitoras fantasmas podem aparecer okk, não mordo.


Beijonas


Comentem

Creditos Angel

4 comentários:

  1. Amando, so espero q a selena nao seja burra. Lute pelo seus direitos !
    Nao eh fastama eh preguiça mesmo ! ;D;D;D;D;P
    posta mais hj. Nos deve 3 capitulos !

    ResponderExcluir
  2. Perfeito
    Sou apaixonado por todas as suas fics ❤️❤️ Posta logo

    ResponderExcluir